quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

PROMOÇÃO DE PRAÇAS DO CBMDF



O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal realizou as promoção de 173 praças , retroativo ao dia 30 de novembro de 2016. Ascensão profissional é uma das garantias conquistadas com a aprovação da Lei 12.086/2009. “A promoção é um reconhecimento profissional e traz a valorização dos bombeiros”.
O quantitativo das promoções foram:

10 Subtenente
48          1º Sgt
59          2º Sgt
55          3º Sgt
01               Cb

Parabéns a estes militares pela progressão na carreira militar, sabemos que podemos melhorar e vamos melhorar, juntos e unidos.

fonte: Portal Bombeiros DF



quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Promoção Automática e sem "chorôrô"!!!




Resultado de imagem para sem chororoCom os policiais civis em operação padrão desde julho, o Governo do Distrito Federal (GDF) publicou(em edição Extra) Vejam: aqui, a promoção de 435 servidores da categoria. No entanto, o que poderia ser encarado como uma tentativa de o GDF restabelecer o diálogo com os profissionais foi visto pelo Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) como mero cumprimento de um direito básico. “Na verdade, tem uma lei que determina isso. Nós estávamos era com medo de levar mais um calote”, declarou Rodrigo Franco, presidente do Sinpol.

A legislação prevê as promoções em duas ocasiões do ano — março e novembro. Dessa forma, os mais de 400 agentes, agentes de custódia, delegados e um perito terão a ascensão profissional por preencherem requisitos como cumprimento de tempo mínimo de trabalho ininterrupto, ausência de punições e aprovação em curso de aperfeiçoamento.

A progressão de carreira é regulamentada pelo Decreto Federal nº 7.652, de 22 de dezembro de 2011. O incremento salarial consta da Lei Orçamentária Anual (LOA) e, portanto, não é considerado despesa extra. Ele é classificado como crescimento vegetativo da folha e é da ordem de R$ 1,2 milhão por mês. O acréscimo será aplicado a partir dos vencimentos de novembro, a serem pagos em dezembro.

fontes: Portal Metropoles e sítio do SINPOL na internet




terça-feira, 22 de novembro de 2016

#ReajusteParaTodos!PMBombeirosePCDF

Emenda ao orçamento do GDF beneficiando a PCDF é aprovada na CLDF 

                 A emenda que prevê o remanejamento de recursos para a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) no Orçamento do Governo do DF (GDF) foi aprovada na manhã desta terça, 22, em audiência da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF).

Resultado de imagem para estamos de olho imagensA medida visa garantir recursos para a manutenção da isonomia entre a PCDF e a Polícia Federal (PF). A emenda é do deputado Wasny de Roure (PT) e ganhou quatro votos favoráveis; houve apenas uma abstenção.

A votação foi acompanhada pela secretária de Planejamento do GDF, Leany Lemos, que esteve na CLDF acompanhada por uma equipe técnica. A comissão é integrada pelos deputados Agaciel Maia (PR), relator-geral do orçamento, Wasny de Roure, Rafael Prudente (PMDB), Prof. Israel Batista (PV) e Júlio César (PRB).

Um grupo de policiais civis atendeu à convocação do Sinpol-DF e compareceu ao plenário, que ficou lotado. Todos empunhavam cartazes com uma mensagem de apelo aos distritais pela aprovação da emenda.

O Orçamento do GDF para 2017 tramita naquela casa como Projeto de Lei nº 1260/16. No total, a emenda aprovada prevê um remanejamento total de R$ 257 milhões para a Polícia Civil, o que possibilitará uma discussão a respeito da recomposição salarial.

A emenda do deputado Wasny é resultado do trabalho de articulação da diretoria na CLDF e no Congresso Nacional. É uma maneira de demonstrar que é possível, caso haja vontade política do governo, encontrar recursos para garantir a recuperação das perdas salariais dos policiais civis.

“Com essa aprovação, estamos mostrando ao GDF que há, sim, como garantir a manutenção da nossa isonomia: o Fundo vai aumentar em R$ 1,1 bilhão, mas o governo quer disponibilizar apenas R$ 28 milhões para a rubrica de pessoal da PCDF. Nossa luta é pela destinação dos R$ 425 milhões necessários para recebermos a primeira parcela em de janeiro de 2017”, afirmou Rodrigo Franco “Gaúcho”, presidente do Sinpol-DF.

Ainda de acordo com ele, a presença dos policiais civis foi preponderante para a vitória conquistada nesta terça, principalmente pelo comparecimento de técnicos do governo. Para Gaúcho, a votação desta terça foi importante, ainda, por ter levantado o debate sobre a situação dos policiais civis. “Conseguimos levantar a discussão e, agora, temos que trazer os distritais para a nossa luta, junto com a sociedade. O governo é resistente, mas nós também somos”, assegurou.

VOTAÇÃO

Após o voto, o presidente da Comissão, o deputado Agaciel Maia, afirmou que será preciso, agora, ampliar o diálogo com o GDF para que a emenda não seja vetada. “A Comissão aprovou e isso já é importante. Se não passasse aqui, não haveria outro caminho. Peço que vocês acompanhem a questão”, disse.

Wasny de Roure lembrou que no início das discussões do orçamento, o governo previa destinar mais de R$ 2 bilhões para a PCDF. Depois, esse valor foi reduzido para R$ 1,7 bi. Na contramão, o Fundo Constitucional aumentou de R$ 12,7 bi para R$ 13,1 bilhões. “A aprovação da emenda é uma tentativa de demonstrar ao governo que o Fundo Constitucional está a serviço da sociedade e não de posições políticas. Não podemos desconhecer a luta pela isonomia. Nós estamos com esse ponto para ser equacionado em Brasília”, afirmou o parlamentar.

A aprovação da emenda não garante o remanejamento. O relatório final do Orçamento será votado na CLDF no dia 15 de dezembro. Depois disso, será sancionada pelo Executivo – o governador Rodrigo Rollemberg pode optar por vetá-la. Por isso, a pressão em torno da isonomia não pode se dissipar.

A diretoria do Sinpol-DF externa os agradecimentos aos deputados Rafael Prudente, Prof. Israel Batista e Júlio César pelos votos favoráveis; ao deputado Wasny de Roure por ter relatado a emenda e ao relator-geral do PL 1260/16, o distrital Agaciel Maia, que além de ter demonstrado compreensão com os policiais civis será um importante interlocutor para que o pleito da categoria avance na CLDF.

Fonte: SINPOL


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Emfim uma boa notícia...

Polícia Militar compra coletes à prova de bala para substituir os vencidos
Crédito: Minervino Junior/CB/D.A PressCB.Poder
Depois de meses de pressão, a Polícia Militar homologou na última sexta-feira a licitação para a compra de 11,5 mil coletes à prova de balas para os integrantes da corporação. Parte dos equipamentos de proteção dos militares estava vencida há mais de seis meses e havia muita reclamação por parte dos PMs. O custo total será de R$ 11,9 milhões.